8 dicas poderosas para formar um time incrível na sua startup!

No último post do nosso blog, abordamos boas práticas de mercado para te ajudar a encontrar o sócio ideal para sua startup, como: recrutamento e seleção, alinhamento de expectativas e regras societárias. A escolha do seu sócio é um importante passo para levar sua startup além, pois em empresas que estão em estágio inicial, a capacidade de execução e os conhecimentos dos sócios são seus únicos ativos. Mas, startup é um bicho que (esperamos) que cresça rápido, e por isso, depois de escolher o seu sócio, você deve ter atenção na seleção dos demais integrantes que virão e por isso, preparamos este post com 8 dicas poderosas que podem te ajudar a formar um time incrível para o seu negócio!

1-) Se esforce para trazer sempre os melhores.
Dissemine a cultura do Fail Fast entre o seu time, apresentando a sua startup como um espaço de experimentação e crescimento, onde o profissional deve ter autonomia e responsabilidade sobre o seu trabalho, que é essencial em empresas que possuem times enxutos. Assim, crescem as chances de startups atraírem e reterem profissionais talentosos que estão em busca de crescimento e não somente de altos salários e estabilidade.

2-)
Contrate especialistas para trabalhar no core business
Startups, principalmente as que encontram-se em estágio inicial não podem perder tempo. Por isso, para as áreas relacionadas ao seu core business, é recomendável trazer especialistas. Por exemplo, se a sua startup comercializa um SaaS, é interessante que você traga com um desenvolvedor que tenha experiência na linguagem em que o seu software foi desenvolvido, porque senão você pode perder muito tempo e consequentemente negócios com a curva de aprendizado do seu novo CTO.

3-) Diversidade é ouro!
Empresas que valorizam a diversidade no ambiente de trabalho estão mais conectadas com o mercado, como disse Anna Paula Rezende, diretora executiva de talentos e sustentabilidade da White Martins, à Revista Exame,: “Negros são 46% da população economicamente ativa e 35% dos lares são chefiados por mulheres. Como vamos entender o mercado se não tenho pessoas dele dentro da empresa? ”
A conexão da White Martins com jovens talentos negros é feita por Leizer Pereira, através da sua startup Empodera, que estamos acelerando no programa Ahead | Labora Oi Futuro.
A diversidade em todas as suas manifestações, como gênero, gerações, cor, opiniões, religiões pode melhorar os resultados das empresas, é o que comprova o estudo Why Diversity Matters, realizado com empresas dos EUA pela McKinsey em 2016.

  • Empresas com diversidade étnica e racial possuem 35% mais chances de ter rendimentos acima da média do seu setor.
  • As empresas com diversidade de gênero possuem 15% a mais de chances de ter rendimentos acima da média.

Além disso, é importante ter pessoas no time com formações e expertises diferentes, que podem contribuir com diferentes pontos de vista nos desafios que a startup irá enfrentar. 

4-) Ofereça os recursos necessários para a melhor performance do seu time.
No início de operação de uma startup, recomendamos que você gaste o mínimo possível de recursos financeiros com o negócio, porque você ainda não sabe o problema real que vai resolver, a solução que vai desenvolver, o cliente que vai atender, onde divulgar e como vender. E só vai saber depois de muita validação no mercado.
Porém, quando você já sabe pelo menos o problema que vai resolver e já está desenvolvendo a versão inicial sua solução, é hora de colocar a mão no bolso e garantir os recursos mínimos necessários para a sua equipe trabalhar. Por exemplo, se a sua startup está desenvolvendo um software, vale investir em equipamentos de qualidade e aplicações tecnológicas de mercado que tragam agilidade para o seu CTO.
Durante a etapa de desenvolvimento da solução, é importante também trazer um profissional de marketing com conhecimento do mercado que a sua startup quer atender. Além de contratar esse profissional, você precisa fornecer os recursos necessários para ele desenvolver um bom trabalho de geração de leads e insights sobre o comportamento dos seus futuros clientes.

5-) Mantenha a cultura e o propósito do seu negócio alinhados.
De acordo com a Teoria do Círculo Dourado de Simon Sinek, abordada em seu livro Starts with why, que em português foi traduzido como Por Quê? Como Grandes Líderes Inspiram Ação: “As pessoas não compram o que você faz, elas compram o por que você faz”. O porquê de uma empresa fazer o que faz é o seu verdadeiro propósito e essa descoberta corresponde ao momento em que a empresa define o problema que vai resolver. Por isso, a primeira semana da etapa presencial do nosso programa de aceleração Ahead, começa com o tema PROBLEMA, onde estimulamos os empreendedores a não só defini-lo, mas também se apaixonar por ele.
No momento em que a startup encontra o seu propósito, deve se dedicar a construir uma cultura organizacional em torno dele. De acordo com Edgard Schein, cientista Phd em Harvard e professor do MIT, a “cultura organizacional é um padrão de premissas básicas compartilhadas que foram aprendidas por um grupo, na medida em que resolveram seus problemas de adaptação externa e integração interna…um produto de aprendizado compartilhado.O conceito não deve ficar apenas nos livros e teorias acadêmicas, precisa ser praticado no dia a dia das empresas e de forma simples, como acontece na startup Social Miner, plataforma de automação de marketing baseada em Big Data para gerar campanhas humanizadas que aceleramos em 2013. A definição da cultura organizacional da Social Miner é:

“Somos uma empresa jovem, super horizontal, com pouca burocracia e muita mão na massa. Estamos crescendo rápido, mas sem perder o clima de startup.
Na Minerland, como apelidamos nosso escritório, tem comida caseira todo dia e happy hour temático todo final de mês. Temos horários flexíveis e somos adeptos ao home office. Preferimos bons resultados que horas pré-definidas de trabalho. Nosso time é criativo, descontraído e meio geek. Por isso, não se assuste ao ouvir citações de quadrinhos da Marvel ou peças de lego pelo escritório.” (Fonte: Site Social Miner)

A partir dessa definição, você pode perceber que a cultura organizacional está em diversos aspectos, como: nos hábitos do time, clima da empresa, estilo do escritório, workflow, etc.

6-) Mantenha o norte sempre claro para todos.
A cultura organizacional deve ser orientada por um objetivo (o norte) de negócio que vai guiar todos os integrantes do time. No exemplo da Social Miner, este norte fica bem claro nos seguintes trechos: “Estamos crescendo rápido, mas sem perder o clima de startup.” e “Preferimos bons resultados que horas pré-definidas de trabalho.” Dessa forma, a liderança da Mind Miners, coloca como objetivo seu crescimento e  resultado, mas sem processos rígidos, mantendo o clima de startup.

7-)
Liderança é Fundamental
Liderança e cultura organizacional sempre caminham juntas. Nas empresas bem sucedidas, como Apple, Tesla e Microsoft, sempre foram líderes como Steve Jobs, Elon Musk e Bill Gates, que deram a direção para onde o negócio deveria seguir para atingir os seus objetivos. Assim, o líder precisa definir alguns aspectos que estão diretame

8 -) Excelência é um hábito.
Em ambientes de incertezas e inovações constantes, que são por onde startups caminham, é importante desenvolver times inquietos que cultivem testes e aprendizados para aprimorar o negócio e que não se acomodem, porque hoje o consumidor digital está cada vez mais exigente diante de tantas opções de produtos e serviços disponíveis nas lojas virtuais que oferecem atributos como simplicidade, personalização, transparência, preço justo, alta qualidade, facilidade de acesso e diversificação de soluções. Neste contexto, o líder também deve procurar transformar-se sempre, buscando o que a autora Carol Dweck definiu em seu livro Mindset – A Nova Psicologia do Sucesso como mindset de crescimento, que é baseado na crença de que os indivíduos podem “cultivar suas qualidades básicas por meio de seus próprios esforços. Embora as pessoas possam se diferir umas das outras de muitas maneiras – em seus talentos e aptidões iniciais, interesses ou temperamentos – cada um de nós é capaz de se modificar e desenvolver por meio do esforço e da experiência.”

Assim como as pessoas que irão integrar o time de uma startup precisam de um mindset de crescimento para atuar no negócio, às startups também precisam desse mindset para prosperarem nesse cenário de incerteza com consumidores que valorizam.


Portanto, neste post abordamos dicas que empreendedores podem utilizar para formar um time incrível na sua startup, como a valorização da diversidade em todos os aspectos, definição do propósito do negócio e a disseminação de uma cultura organizacional baseada em experimentação, testes e resultados. 

E você, que tal colocar essas dicas em prática no nosso programa de aceleração Ahead? Deixe o seu cadastro no formulário abaixo e te avisaremos sobre as datas de inscrição do próximo programa.


Deixe uma resposta